Efeitos do Envelhecimento

O envelhecimento é um processo biológico, universal, dinâmico e progressivo, no qual há modificações morfológicas, bioquímicas e psicológicas em nosso organismo que determinam a perda da capacidade de adaptação do indivíduo ao meio ambiente, ocasionando maior vulnerabilidade e maior incidência de processos patológicos (doenças) que terminam por levá-lo à morte.

Caracteriza-se, também, como uma perda progressiva da capacidade de manter a homeostase (equilíbrio). O processo de envelhecimento é progressivo, as alterações por ele determinadas possuem pouca relação com a idade cronológica e variam de órgão para órgão e de indivíduo para indivíduo.

Apesar do grande número de pesquisas realizadas nos últimos anos, os mecanismos que controlam a velocidade e a maneira pela qual um organismo envelhece continuam sendo um mistério. Existem muitas teorias que tentam explicar os fenômenos biológicos do envelhecimento, mas nenhuma delas é completa o bastante para ser aceita universalmente.

A teoria dos radicais livres baseia-se no pressuposto de que o envelhecimento se dá ao somatório de reações químicas instáveis e causa danos às proteínas, enzimas e DNA.

A teoria do dano oxidativo seria causada pela contínua defasagem das defesas do organismo para a toxicidade do oxigênio.

A teoria do “rate living” caracteriza que a duração de vida de um organismo seria dependente da exaustão de uma quantidade fixa de certa substância vital. Porém, o que se sabe e se evidenciou durante os últimos anos, é que o retardo e a prevenção do envelhecimento são possíveis.

Efeitos Colaterais do Envelhecimento

Os efeitos do envelhecimento podem diminuir muito o funcionamento do metabolismo, que são funções neurais essenciais para o controle da atividade muscular responsável pelo movimento humano.

Os componentes mecânicos do corpo humano incluem músculos, tecidos conjuntivos, órgãos e estruturas esqueléticas. Funções metabólicas de absorção de macronutrientes para a produção de energia química para a contração muscular também são diminuídas em função da idade.

Pessoas sedentárias entre idades de 30 a 80 anos podem apresentar uma perda de 30 a 40% da força muscular. Como resultado da redução dos níveis de massa muscular, principalmente as fibras do tipo II, responsáveis pela força e produção de energia, por isso os exercícios mais indicados para pessoas de 30 anos em diante são exercícios de força, impacto e funcional.

Conheça os diferentes tipos de idade e métricas do corpo:

É o efeito do envelhecimento como uma função da passagem do tempo, que acontece independentemente de outras variáveis. Não há nenhuma maneira de retardar o processo de envelhecimento cronológico, nem mesmo a morte, pois corta abruptamente o processo.

As mudanças progressivas em todas as estruturas e funções fisiológicas afetam todo o organismo, a partir de células individuais e os tecidos conjuntivos em órgãos vitais. Esse processo pode ser freado e até revertido. Portanto, nossa idade cronológica não define nossa idade biológica, e sim nossos comportamentos, hábitos e ambiente em que vivemos.

É a idade que se sente ter. Ela é caracterizada pelas emoções que influenciam nas atitudes e comportamentos.

Você sabe o que é Homeostase?

Clique no botão abaixo e conheça mais sobre!